Brigando com a arma

Acho impressionante o comodismo das autoridades brasileiras quando se deparam com alguma questão que expõe sua incompetência. Este é só mais um daqueles assuntos da sociedade que se estendem e vão parar para dentro das quatro linhas de cal do futebol.

No Brasil, se dez por cento da população consome bebidas alcoólicas, o governo retira o direito de outros noventa por cento de beber uma quantia razoável de álcool e ir para a casa na segurança e comodismo de seu automóvel. No fim das contas fodemos a maior parte da população apenas porque somos incapazes de punir com rigor e controlar a minoria foco do problema. O que me deixa mais intrigado é que pessoas que fazem parte dos noventa batem palmas para esta atitude ditatorialista afirmando ser a melhor e única solução. E de tão hipócritas que são conseguem discutir e sustentar esta opinião em uma mesa de bar prestar a voltar para casa dirigindo seu carrinho.

Lindo!

O brasileiro tem uma tendência natural tão grande a hipocrisia que deveria até ser motivo de estudo.

Se a violência cresce retiramos o direito do cidadão de portar uma arma.

Para cuidar da saúde da população proibimos todos de fumarem onde bem entenderem.

Antes de qualquer coisa, não sou fumante, alcoólatra e nem colecionador de armas, só sou consciente o suficiente a ponto de reivindicar meus direitos e saber que se eu quiser começar a fumar daqui a cinco minutos no Buteco do Zóio (bar de um grande amigo meu aqui do lado de casa), não farei o meu parceiro ser multado, mesmo estando em um estabelecimento privado com a condescendência do dono.

Mais uma vez os brasileirinhos classe média padrão adoraram a medida ditatorialista, afinal, diferente de mim são todos conscientes demais para fumar, e óbviamente acham um hábito nojento. E claro, como bons classe média padrão só conseguem olhar para o próprio umbigo.

Enfim, eu poderia lhes citar milhares de tópicos como estes que fogem do senso comum e acabam se perdendo no limbo da hipocrisia brasileira. Repudiamos o aborto, as drogas, mas todos já conhecemos histórias de mulheres que se feriram ou morreram em abortos clandestinos, todos temos aquele amiguinho que sempre tem aquela “bucha” ou “pino” quando requisitado. De exemplos este assunto está cheio, mas como é de costume neste blog vou me ater ao futebol.

Recentemente a Macha Alviverde foi proibida de ir aos estádios. Mais uma vez na incapacidade de controlar dez por cento fodemos noventa.

Gostariam de saber minha opinião sobre as torcidas organizadas de um modo geral? Adoro, todas!

Acho as torcidas organizadas a essência do futebol, elas são no mínimo uns sessenta por cento do espetáculo. Vocês já viram torcedor comum abrir mosaico, bandeira, cantar em coro para o time? Resumindo, vocês já viram o torcedor comum ser o décimo segundo jogador do time em campo?

Eu lhes respondo, nunca!

Torcedor comum torce, faz sua festinha e tudo mais, mas o que dá a beleza ao espetáculo é a organização (não me diga). A ralação da galera que ensaia até de madrugada antes de jogo e viaja metade do Brasil atrás do time.

O mesmo torcedor comum que quer o fim das organizadas é aquele que fica encantado com o bandeirão, se empolga no coro, e adora ver o efeito das bexigas.

Imagino que o tocedor que quer o fim  das organizadas tenha a consciência que o Palmeiras jogará as moscas metade dos seus jogos a partir de agora. Não é só o Palmeiras não, por mais que eu não goste da Independente eu reconheço que se não fosse ela o São Paulo jogaria para duzentas pessoas metade dos seus jogos. Achar que é o torcedor comum que lota estádio e dá show é lindo, mas não é a realidade, torcedor comum só vai na boa. A própria torcida corintiana, tão fiel que é, se você tirar as organizadas você tira uns setenta por cento do publico alvinegro.

A FPF baniu a organizada palmeirense dos estádios? A população está satisfeita com isto? Perfeito. Então que TODAS as organizadas do Brasil sofram as conseqüências. A final, são todas organizadas, não são? O problema não é este?

Mais uma vez o Estado passa um recibo de incompetência, e em função de dez por cento de pessoas ruins dentro de uma organizada destroem o direito de noventa por cento de palmeirenses de ir ao estádio abrir o bandeirão do seu time. E mais uma vez a população adora e se dá por satisfeita sem notar que mais dia ou menos dia serão os próximos a perderem seus direitos!

Tão hipócrita, interessante e acima de tudo tão brasileiro!

Anúncios

Apenas remando a favor

É impressionante como uma minoria, em geral mal intencionada, tem o poder de mudar a opinião pública de forma concreta em relação ao foco de um problema.

Virou rotina no Brasil inteiro depois dos estaduais e da Copa do Brasil, crise nos times perdedores. As vezes porque seu time perdeu para um rival estadual sem qualquer resistência ou porque caiu na Copa do Brasil nas mãos de um nânico qualquer, mas é certo que haverá crise.

Peguemos por exemplo São Paulo, Corinthians e Palmeiras.

Após o período que mencionei conseguiamos ver nos três clubes meia dúzia de torcedores “organizados” protestanto contra algo que eles nem sabem direito, mas estão lá, chutando carro de funcionários e pixando muros. O mais estranho é que de alguma forma a mídia e o clube veiculam aquele grupo de trinta ou quarenta como se de fato transparecessem a opinião dos 15, 20 ou 30 milhões de torcedores que realmente formam a engrenagem. Parte desta multidão acaba de fato sendo contagiada com algum sentimento de que aqueles caras vestidos com camisas organizadas estão brigando por algo melhor para o seu clube e parcela significativa destes torcedores (em geral os de internet) apenas apoiam esta meia duzia, mais uma vez não sabem o que estão apoiando, quem ou pra quê.

O problema é que o torcedor comum nem faz idéia do que de fato originou o protesto e o seu objetivo principal.

Antes de mais nada é necessário esclarecer uma coisa: Organizada nenhuma cresce sem a ajuda de dirigentes.

Independente, Mancha ou Gaviões. Todas tem um papel político dentro do clube. Quando não é com a posição é com a oposição e as vezes é com os dois (estes casos são os mais destrutívos para o clube).

Vamos tomar o Tricolor Paulista como exemplo.

Creio que qualquer ser com capacidade de raciocinar um pouco consegue concluir que o problema não é o Carpegianni, o Lucas, ou Juan e outros alvos dos protestos, pelo menos não são só eles. O Carpa tem os seus defeitos, com certeza. O Juan não joga nada, talvez, mas o estranho é que ha três semanas atrás, quando o mesmo time era lider do Paulista ninguém fez protesto quanto a capacidade técnica destes e de outros, e o Lucas era um craque maior que Neymar.

A culpa é realmente do técnico quando sua diretoria não lhe dá um lateral direito, primeiro volante, um meia e mais uma porção de posições carentes? Parcela da culpa é dele e dos jogadores sim, não vamos apadrinhar ninguém, mas a parte que de fato tem culpa está sendo conveninentemente esquecida em meio a estes protestos.

Por que não foram protestar e chutar carro quando o Juvenal Juvêncio criminosamente alterou o estatuto para virar o Eurico Miranda do Morumbi? Já que nenhum diretor, ou conselheiro é homem o suficiente para se colocar contra o Juvenal, porque a torcida não teve saco roxo pra tirar o Juvenal de lá ela mesmo?

Vemos na segunda de manhã a torcida na rua protestanto contra o técnico, jogador e quem mais eles se lembrarem, só que oportunamente deixam a diretoria fora de foco.

Este é o caso das manifestações desta semana? Não sei e nem tenho como provar, mas que tem todas as características tem.

Esta prática acontece tanto quando diretor da oposição dar uma grana para a organizada para eles irem cornetar a posição.

As vezes o diretor da posição manda a organizada para o CT só para dar um susto nos jogadores pra ver se surte algum resultado dentro de campo.

O caso do Palmeiras é bem parecido com o São Paulo.

Técnico e jogadores de fato tem parte da culpa, mas ninguém se lembra de diretor que vira e mexe dá declarações CONTRA o próprio time, os problemas internos que as brigas entre as diversas chapas causam dentro das quatro linhas e mais uma série de decisões egoístas que nunca tem o clube como principal beneficiado.

E isto não é de hoje não, isto está no Palmeiras desde que o Palmeiras é Palmeiras.

Antes de qualquer coisa tenho de dizer que não sou contra organizadas ou protestos. As organizadas (com suas exceções) são as responsáveis pelos shows mais bonitos que já ví nas arquibancadas pelo Brasil, e os protestos são necessários, mas com inteligência e não manipulados e acéfalos.

Seja sincero e busque da memória algum protesto de organizada que de fato teve um efeito positivo para o seu clube. Eu só consigo lembrar de torcida dando pretesto para Vagner Love ir embora, queimando Kaká, Luiz Fabiano (o mesmo que ela idolatrou há um mês)  e mais uma porção de moleques que hoje mostram que são bons de bola.

Não tem jeito de um protesto sem o mínimo de critério e organização dar um resultado positivo para o clube.

Eu só me pergunto uma coisa, porque estas organizadas antes de ir lá chutar carro de jogador não resolvem de fato torcer para o time. Digo isto porque em poucas situações eu vi uma organizada aqui do estado de São Paulo de fato torcer pelo clube, em geral estão muito mais interessados em cantar que são os mais temidos do Brasil, que eles colocam Porco, Galinha ou Bambi pra correr, ou que tocam o terror por onde passam.

Você como jogador, se sentiria honrado em jogar pra um monte de gente que não dá a mínima para futebol?

É claro, não é motivo pra jogador reclamar, mas estou só mostrando um cenário.

Aí eu lhes pergunto: Jogador pode fazer protesto contra a torcida também?

A Bizarrice financiada pelo chefe

Ontem no Morumbi mais uma vez assistimos a um show de horror de falo a anos e que ninguém quer ver.

Quando Dorival caiu, confesso que fiquei ansioso pelo anuncio dele no tricolor, que na prática não tem técnico há alguns anos.

Perguntei a alguns amigos São Paulinos e aquela maldita máxima de torcedor modinha que adora o resultado.

– Não precisa mudar, o time está ganhando!

Ótimo, se tudo estivesse tão bem assim eu não teria falado mal do time em todos os posts que fiz aqui sobre o tricolor, visto que este blog é novinho demais para poder elogiar algo que tenha relação ao São Paulo.

Ao menos a torcida modinha possa ver que mesmo que eles não tenham capacidade de ver o time continua uma porcaria.

Ganhou meia dúzia de jogos de meia dúzia de gatos pingados que rezam para não cair. No primeiro adversário melhor postado em campo o time toma um baile de uma forma que nunca vi meu time tomar.

Foi assim contra Corinthians, Inter e outros.

O time continua uma porcaria e quem deveria estar vendo isto ignora. Não tem padrão tático, não tem vontade, não tem nada.

Muita gente nada humilde pode falar que o jogo de ontem foram três contra-ataques e três gols Goianos.

Confesso que não assisti a este jogo. No jogo que assisti o Goiás chegava de forma facílima na área tricolor e poderia com certeza ter goleado de verdade.

Principalmente pela direita, onde o super experiente Baresi não sacou que Samuel não é Jogador e Jean não existe na ala direita.

Bom, este post foi só para mostrar para o torcedor tricolor que seu time continua uma porcaria e que gente que deveria ver lá em cima ignora.

Continua sem técnico.

Um exemplo ridículo de que não temos treinador foi quando notamos que o SPFC tinha quatro atacantes e três zagueiros.

E nada no meio.

Enfim, este é Baresi o nosso treinador.

Não contratar o Dorival foi apenas uma mostra do que o Juvenal quer: um técnico que abaixe a cabeça para a escalação que ele quiser. Um fantoche na verdade, como Muricy, Ricardo e agora o Baresi.

Surgiu na mídia esta semana que o São Paulo não fechou com Dorival por ter contrato fechado com Abel Braga para ano que vem.

Se este for o motivo, juro que faço um post gigante me desculpando e falando que estou errado, mas sinceramente para mim isto não passa de balela para deixar o torcedor quietinho na sua cadeira.

Já até surgiram boatos mais fortes que Abel fechou com o Santos.

Acredito muito mais no Santos que com todos os defeitos de sua diretoria, pelo menos a omissão não é uma delas.

Aguardem ano que vem meus caros tricolores quando Juvenal alterar o estatudo e se manter no poder.

Então estaremos em “ótimas” mãos, ótimas mãos que nos levara para a segunda divisão para aqueles mais novos que não se lembram quem era o presidente daquele fracasso.

Acho que alguém precisa dar um DVD do Soberano a Juvenal Juvêncio.