É macho mesmo!!

Quando o Felipão chegou no Palmeiras fiz questão fazer um extenso texto neste blog com minha opinião pessoal sobre o treinador. Coloquei neste minhas impressões dos tempos de Palmeiras, Cruzeiro, Portugal e um pouquinho de Chelsea e o resultado foi esse link aqui. Quem não tiver lido dê uma olhadinha que nele explico certinho minha linha de raciocínio.

Quem lê meu blog com certa regularidade ou conhece minhas preferências esportivas sabe que não gosto técnicamente do Felipão. Acho o treineiro taticamente previsível e fraquíssimo. Quando ele não opta pelo esquema Muricy com bicuda para o mato e bola parada nos pés do Arce ou do Marcos Assunção ele escolhe o esquema com um atacante e dois pontas, mas sempre dando bicuda para frente. O resultado disso são os incontáveis empates e vitórias de meio a zero sobre o seu comando. Futebol que é bom nada.

Imagino que de certa forma tenha ficado bem óbvio que este texto não é nada daqueles tipos: “blá, blá, blá, Quando Felipão chegou eu pensava assim, mas hoje ele me fez mudar completamente de opinião e eu o acho o melhor treinador de todos os tempos e blá, blá, blá e blá, blá blá.”

Muito pelo contrário, continuo achando o Felipão técnicamente ridículo, mas neste último ano de Palmeiras o Gauchão ganhou completamente minha admiração.

Felipão perdeu o apoio da diretoria anterior (que já não valia muita coisa), é completamente contestado pela diretoria atual, que o acha caro demais, utilizado como escudo declarado contra a torcida e herdou um Palmeiras desorganizado dentro e fora dos gramados com uma nação mais chata que o natural em vista dos fracassos das últimas décadas, principalmente de 2008 com o Muricy.

E mesmo assim o Felipão não larga o osso.

Metade destes problemas já seriam suficientes para mandar um monte de pseudo-treineiro pro Qatar ganhar os petro-dólares, ou para qualquer outro time com melhor perspectiva. Conheco um técnico que saiu de um time porque supostamente haviam ratos nos vestiários :).

Felipão não é burro, ele sabe que só não é demitido porque é o único escudo da diretoria contra a torcida. Sabe que o Palmeiras atual não tem condições de brigar por nada e que politicamente a situação tente a explodir e mesmo assim ele está lá, dando esporro na diretoria, no time, na torcida e em quem mais ele achar que deve. Por não ser burro ele com certeza sabe que se ele não conseguir dar jeito no Palmeiras ninguém dá.

Quando Felipão veio para o Verdão eu conversei com um grande amigo Palestrino. Ambos pensamos relativamente parecido e sabemos que o professor não é aquele primor técnico, porém para a instituição Palmeiras ele é de longe a melhor opção que existe.

Os problemas do Palmeiras não estão dentro de campo, se estivessem o Luxa com certeza teria dado jeito na sua última passagem por lá. O pior é que ele quase conseguiu, mas esbarrou em problemas que vão muito além de esquema tático e tudo mais. Luxa caiu quando a diretoria e a torcida revolveram queimá-lo vivo por causa de uns dois ou três empates, depois do único título do Palmeiras nos últimos dez anos.

Para suportar este tipo de situação só o Luiz Felipe, isto é incontestável, por lá, ele é incontestável.

Hoje Scolari enfrenta um dos piores momentos de sua passagem pelo Palmeiras. Os resultados no campo não aparecem, a diretoria joga contra, a torcida cisma em idolatrar jogadores que mais atrapalham do que ajudam e pegar jogadores que estão resolvendo como Luan e Marcos Assunção para cristo e mesmo assim o Gaúcho afirma que não sai do Palmeiras por nada.

É por amor ao Palmeiras, com certeza também é, mas vejo isto como algo que vai além. O mesmo motivo que impedia o treinador de vir há uns cinco anos atrás quando a torcida clamava sua volta o impede de ir embora.

O homem tem palavra e acima de tudo ele é macho pra caralho de segurar a bronca sozinho e infelizmente para o Palmeiras neste momento ele segue cada vez mais sozinho e é justamente por isto que ele ganha cada vez mais meu respeito e admiração.

Apenas remando a favor

É impressionante como uma minoria, em geral mal intencionada, tem o poder de mudar a opinião pública de forma concreta em relação ao foco de um problema.

Virou rotina no Brasil inteiro depois dos estaduais e da Copa do Brasil, crise nos times perdedores. As vezes porque seu time perdeu para um rival estadual sem qualquer resistência ou porque caiu na Copa do Brasil nas mãos de um nânico qualquer, mas é certo que haverá crise.

Peguemos por exemplo São Paulo, Corinthians e Palmeiras.

Após o período que mencionei conseguiamos ver nos três clubes meia dúzia de torcedores “organizados” protestanto contra algo que eles nem sabem direito, mas estão lá, chutando carro de funcionários e pixando muros. O mais estranho é que de alguma forma a mídia e o clube veiculam aquele grupo de trinta ou quarenta como se de fato transparecessem a opinião dos 15, 20 ou 30 milhões de torcedores que realmente formam a engrenagem. Parte desta multidão acaba de fato sendo contagiada com algum sentimento de que aqueles caras vestidos com camisas organizadas estão brigando por algo melhor para o seu clube e parcela significativa destes torcedores (em geral os de internet) apenas apoiam esta meia duzia, mais uma vez não sabem o que estão apoiando, quem ou pra quê.

O problema é que o torcedor comum nem faz idéia do que de fato originou o protesto e o seu objetivo principal.

Antes de mais nada é necessário esclarecer uma coisa: Organizada nenhuma cresce sem a ajuda de dirigentes.

Independente, Mancha ou Gaviões. Todas tem um papel político dentro do clube. Quando não é com a posição é com a oposição e as vezes é com os dois (estes casos são os mais destrutívos para o clube).

Vamos tomar o Tricolor Paulista como exemplo.

Creio que qualquer ser com capacidade de raciocinar um pouco consegue concluir que o problema não é o Carpegianni, o Lucas, ou Juan e outros alvos dos protestos, pelo menos não são só eles. O Carpa tem os seus defeitos, com certeza. O Juan não joga nada, talvez, mas o estranho é que ha três semanas atrás, quando o mesmo time era lider do Paulista ninguém fez protesto quanto a capacidade técnica destes e de outros, e o Lucas era um craque maior que Neymar.

A culpa é realmente do técnico quando sua diretoria não lhe dá um lateral direito, primeiro volante, um meia e mais uma porção de posições carentes? Parcela da culpa é dele e dos jogadores sim, não vamos apadrinhar ninguém, mas a parte que de fato tem culpa está sendo conveninentemente esquecida em meio a estes protestos.

Por que não foram protestar e chutar carro quando o Juvenal Juvêncio criminosamente alterou o estatuto para virar o Eurico Miranda do Morumbi? Já que nenhum diretor, ou conselheiro é homem o suficiente para se colocar contra o Juvenal, porque a torcida não teve saco roxo pra tirar o Juvenal de lá ela mesmo?

Vemos na segunda de manhã a torcida na rua protestanto contra o técnico, jogador e quem mais eles se lembrarem, só que oportunamente deixam a diretoria fora de foco.

Este é o caso das manifestações desta semana? Não sei e nem tenho como provar, mas que tem todas as características tem.

Esta prática acontece tanto quando diretor da oposição dar uma grana para a organizada para eles irem cornetar a posição.

As vezes o diretor da posição manda a organizada para o CT só para dar um susto nos jogadores pra ver se surte algum resultado dentro de campo.

O caso do Palmeiras é bem parecido com o São Paulo.

Técnico e jogadores de fato tem parte da culpa, mas ninguém se lembra de diretor que vira e mexe dá declarações CONTRA o próprio time, os problemas internos que as brigas entre as diversas chapas causam dentro das quatro linhas e mais uma série de decisões egoístas que nunca tem o clube como principal beneficiado.

E isto não é de hoje não, isto está no Palmeiras desde que o Palmeiras é Palmeiras.

Antes de qualquer coisa tenho de dizer que não sou contra organizadas ou protestos. As organizadas (com suas exceções) são as responsáveis pelos shows mais bonitos que já ví nas arquibancadas pelo Brasil, e os protestos são necessários, mas com inteligência e não manipulados e acéfalos.

Seja sincero e busque da memória algum protesto de organizada que de fato teve um efeito positivo para o seu clube. Eu só consigo lembrar de torcida dando pretesto para Vagner Love ir embora, queimando Kaká, Luiz Fabiano (o mesmo que ela idolatrou há um mês)  e mais uma porção de moleques que hoje mostram que são bons de bola.

Não tem jeito de um protesto sem o mínimo de critério e organização dar um resultado positivo para o clube.

Eu só me pergunto uma coisa, porque estas organizadas antes de ir lá chutar carro de jogador não resolvem de fato torcer para o time. Digo isto porque em poucas situações eu vi uma organizada aqui do estado de São Paulo de fato torcer pelo clube, em geral estão muito mais interessados em cantar que são os mais temidos do Brasil, que eles colocam Porco, Galinha ou Bambi pra correr, ou que tocam o terror por onde passam.

Você como jogador, se sentiria honrado em jogar pra um monte de gente que não dá a mínima para futebol?

É claro, não é motivo pra jogador reclamar, mas estou só mostrando um cenário.

Aí eu lhes pergunto: Jogador pode fazer protesto contra a torcida também?

Arrotando Perú

Se tem uma coisa que eu gosto no futebol é a tal da justiça. É incrível como um esporte tão popular consegue reunir sabores tão procurados na vida real, acreditem, ao contrário da vida real, no futebol sempre, sempre a mascara cai. Não importa quanto tempo demore e não importa o quanto custe.

Queria perguntar para a torcida são paulina se ela se lembra de Marcelo Portugal Gouvêa?

Mas vejam bem. Quando eu faço esta pergunta não quero que vocês pensem: “Ah ele era presidente de verdade, nos deu Libertadores e Título mundial”.

Isto é besteira. Adorei o mundial, vibro até hoje com o VT, mas julgar um presidente pelos títulos que ganha é coisa de canalha, e tenho certeza que o próprio presidente ficaria triste ao ver que suas atitudes e filosofia de liderança foram resumidas a dois títulos que são muito menores que isto, diga-se.

O que eu me refiro ao pedir para que tentem se lembrar do Marcelo Portugal é sobre o São Paulo do Marcelo Portugal. Alguém se lembra de tantas brigas na época do Marcelo Portugal? Internas e Externas. Alguém se lembra de Ricardo Teixeira ser problema na época do Marcelo? Andrés Sanches, Dualib ou qualquer outro ser problema? Muito pelo contrário, eram a solução. O São Paulo era um dos times com melhor relação com seus rivais. Aí você me diz que o problema é o Andrés Sanches, Ricardo Teixeira, Belluzzo ou qualquer um.

Acreditar nisto é coisa de gente inocente.

Ricardo Teixeira sempre foi Ricardo Teixeira, idem para Andrés Sanches que a vida inteira esteve nos bastidores do Dualib e mesmo que estes fossem o problema é papel de um dirigente de futebol visar sobre seu clube e lutar sempre pelos interesses do clube e não por vaidade própria. É fato amigos, no futebol na política e na vida, não se cresce sozinho. Você tem que ser político, tentar não ser hipócrita, lidar com interesses de outras pessoas em prol dos seus. A vida é assim, tenho certeza que quem lê isto sabe melhor que eu. Cabe a nós tentar andar sempre pela linha tênue do político e correto e do mau caráter hipócrita. É difícil, mas o jogo é assim.

Marcelo Portugal Gouvêa conhecia o jogo, sabia que era assim, sabia que sozinho o São Paulo só ia se apequenar e é justamente o que está acontecendo e o que acontecerá de houver algum tipo de reeleição.

Alguém se lembra de algum tipo de senhor feudal na época do Portugal? Alguém de decide tudo a mãos de ferro e centraliza todo e qualquer tipo de decisão? Esta eu respondo, NÃO. Juvenal Juvêncio deve agradecer esta característica de Gouvêa, pois graças a sua capacidade de delegar é que ele se criou na posição do tricolor.

Mais importante em minha opinião: alguém se lembra de Marcelo Portugal Gouvêa sendo torcedor? Eu respondo novamente, NÃO. Marcelo Portugal Gouvêa foi um dos maiores são paulinos que já vi, mas nunca foi torcedor quando estava à frente do tricolor. Nunca pisou em um rival, não caçoava dos outros clubes e de problemas que estes estavam passando.

Um medidor de competência de uma diretoria que tenho para mim é a quantidade de merdas que ela fala em público e ultimamente a diretoria do São Paulo não pode ver um  microfone.

Pergunto-lhes se vocês se lembram de qualquer tipo de declaração na época do nosso finado presidente? O tricolor era mudo. Não aproveitava oportunidades de pisar em rivais, não esperava uma brechinha para ir a televisão anunciar um projeto ou jogador fantástico que depois nunca aparecia e nem pregava que o São Paulo Futebol Clube era o Manchester United tupiniquim. A diretoria fazia um negocio que às vezes funciona, trabalhava.

Este é o meu tricolor.

O tricolor que sabe ganhar um jogo de futebol e principalmente, sabe perder. Quando ganha um jogo não vai a televisão falar que o Palmeiras é a Portuguesa e quando perde também não faz isto dizendo que o juiz é covarde, ladrão, mau caráter ou que perdemos porque um jogador teve um pesadelo durante a noite e não dormiu direito.

Bons tempos onde o tricolor era gigante apenas por sua natureza de gigante.

Quando vejo Andrés Sanches dizendo que não tem problemas com o SPFC, mas sim com a gente arrogante que tem lá dentro eu o entendo perfeitamente e me colocando na posição dele eu acho que faria a mesma coisa. Esta atual diretoria do SPFC é nojenta.

E o pior, escrevi uma resenha até agora e nem mencionei os erros e acertos desta diretoria a frente do futebol do tricolor. Houveram acertos, mas houveram muito mais erros, os erros vem acontecendo desde 2006, a diferença é que no fim de cada ano o SPFC ganhava um título pra ofuscar tudo. Infelizmente no Brasil é assim, se ganha alguma coisa é tudo de bom e a diretoria é referência e é um clube de primeiro mundo, se perde alguma coisa aí o castelo desmorona e é tudo de ruim como com o fantástico Internacional recentemente e com a seleção do ótimo Dunga há um tempo atrás. (Neste momento estou sendo amaldiçoado pela metade dos leitores ao falar bem do Dunga). O pior de tudo é que a torcida tricolor acreditou nas bobagens que esta diretoria adora pregar e realmente acredita que seu clube é o Manchester United sulamericano.

Uma novidade pra vocês amigos, não é!

O tricolor é um gigante, assim como seus rivais Palmeiras, Corinthians e os outros nove gigantes. Todos com sua grandeza e todos iguais, basta o torcedor são paulino fazer uma escolha, ser alienado ou aproveitar o futebol em sua essência. Muito provavelmente o alienado nem chegou nestas linhas, parou quando eu falei que não se julga um presidente de clube pelos títulos e quando eu disse que o título mundial era menor que a postura do nosso ex-presidente, mas se alguém chegou a estas linhas finais é por que talvez concorde com no mínimo um porcento do que escrevi e é justamente este cara que eu quero mostrar que o tricolor é gigante, mas por sua natureza de grande e não por pisar em outro para se sobrepor.

Grandeza não se anuncia as pessoas simplesmente sabem que você é grande. Este é o limiar, entre ser gigante e ser um arrogante nojento, e infelizmente este câncer que nos lidera não sabe disto e nem nunca vai saber, pois é pequeno por natureza e nunca entenderia isto.

O Flamengo Morreu hoje

Não há muito que falar sobre o que aconteceu na Gávea hoje.

É bem claro.

Um homem bem intencionado entrou em um antro de sujeira, tentou mudar alguma coisa e por isto foi expulso de lá.

O futebol é assim.

Cheguei a uma conclusão de que em qualquer lugar que dois ou mais engravatados se reúnem ele tem a incrível capacidade de destruir tudo que é bom.

Aconteceu isto com Zico e o Fla e acontece isto todos os dias em todos os clubes brasileiros.

Não há o que comentar, apenas lamentar.

Nação Fla. Qualquer chance de profissionalizar o seu futebol morreu hoje.

Brincando com Fogo

Nesta última semana a Gávea tem balançado, e gente importante lá vem brincando feio com fogo.

Não me refiro ao time, este está entrando nos eixos com o Silas.

Refiro-me aqueles de terno e gravata.

Certas acusações sem prova vêm sendo veiculadas a imprensa de forma covarde e contra um Deus rubro negro.

Gente disse que o Galinho teria ficado apavorado ao receber a direção e o pior, acusado o Galinho de ter escolhido jogadores de acordo com seus interesses pessoais.

Acusação no mínimo covarde e sem provas, diga-se de passagem.

Zico é um Deus vivo que volta a caminhar na sua terra prometida, a Gávea. Muito mais que um Deus rubro negro ele é uma lenda brasileira, e de sua índole não consigo duvidar.

Ao olhar para ele vejo um homem correto e com objetivos, que está tentando dar um jeito no futebol Flamenguista e está encontrando gente mal intencionada que deitava e rolava com o dinheiro rubro negro e neste momento está se sentindo incomodada com algem tentando mudar alguma coisa.

Enfim, tudo que escrevi são apenas conclusões, nada concreto.

Mas afirmo uma coisa.

Qualquer vírgula dita sobre o Galinho na Gávea tem que ser bem revisada, fora isto, é brincar com fogo.

Ai não né professor

Não é segredo para os que já leram meus textos que não sou lá chegado ao trabalho de Luiz Felipe Scolari, como escrevi aqui.

Não sou chegado no trabalho dele no Palmeiras, no Grêmio, na Seleção e em lugar nenhum. Acontece que no Palmeiras ele está conseguindo se superar, pro lado negativo.

Não vou citar os erros táticos e de futebol que já comentei em outros posts.

O treinador definiu com os jogadores que não devem dar entrevistas a imprensa nos jogos com punição de cinco mil reais para quem descumprir a regra.

Tudo bem, ele é o chefe e as regras são deles, se isto ajuda ou atrapalha ele deve saber melhor que eu.

Esta regra surgiu quando o Kleber Gladiador falou mal do seu sistema defensivo na imprensa. De fato isto é terrível, nunca concordei com este tipo de atitude, inclusive sempre critiquei o goleiro Marcos por criticar seu time inteiro nas derrotas e muitas vezes tentando tirar o foco de um erro cometido por ele mesmo com isto.

Ou não se lembram de Palmeiras e Grêmio em 2008 no segundo turno do brasileiro?

Na minha opinião dar uma dura nos jogadores pela lavação de roupa suja na imprensa é válido.

Estabelecer suas regras com multas, na minha opinião, é exagerado porém também é válido afinal, quando seu chefe inventa alguma regra você não tem o que fazer… você acata.

Mas o problema é o Felipão com todo este papinho de disciplinador, depois do jogo ir lá na imprensa e arrebentar com seus comandados.

Ele disse coisas absurdas… Dizer que tem jogadores que não são homens, que não merecem vestir a camisa do Palmeiras e que o time comete erros de casados e solteiros.

Vejam, não estou afirmando que isto é mentira, talvez tudo isto seja verdade, mas com que cara ele vai se apresentar para os seus comandados agora?

Como os jogadores podem jogar por um cara que os apunhala desta forma?

Falar isto no treino, no vestiário é uma coisa, mas gritar isto na TV para o mundo inteiro ouvir. Inconcebível.

E o pior é que os jogadores são sim culpados por algumas coisas, mas consigo citar no mínimo uns quatro jogos de cabeça que o Palmeiras perdeu o jogo pelo lixo de comando deste homem e suas alterações.

O que ele está fazendo é mudar o foco dos seus fracassos, e isto, como ele mesmo disse não é atitude de homem.

Eu realmente acho que o Felipão está abusando MUITO do crédito que a torcida e diretoria lhe deram quando o trouxeram com status de Deus.

E acho mesmo que o Palmeiras deveria começar a trata-lo como  mais um e não como mito.

SPFC e Atlético Goianiense – 02/09 – Brasileirão

Infelizmente não pude assistir o jogo efetivamente, não tenho bala na agulha para o PFC, porém ouvi no radinho e com certeza foi muito melhor.

Consegui detalhes que não teria na TV e que mudaram consideravelmente uma de minhas opiniões.

Não vou postar muito do jogo, juro, não tem o que falar o SPFC não jogou.

Achou dois gols.

Vou falar apenas de um detalhes específico.

Anteriormente postei que gostei da escolha do Baresi para o nosso interino enquanto procuravam outro técnico.

O problema que acontece com o SPFC é que não estão procurando outro técnico.

Está muito claro que esta diretoria omissa está esperando uma sequência de vitórias para segurar ele até o ano que vem.

Mas voltando ao jogo agora.

Ouvindo no rádio, perto do fim do jogo no segundo tempo quando o SPFC tomavam uma pressão desnecessária, um reporter vira e fala que o Rogério Ceni chama o Cleber Santana e fala:

– Vai lá e fala para o Baresi que você quer entrar.

Rogério notávelmente nervoso como o reporter fez questão de detalhar.

Então o Cleber vai ao banco e quase ao mesmo tempo o Baresi arma a substituição de entrada do Samuel.

Como o reporter detalhou o Rogério ficou ainda mais nervoso e olhava ofensivamente ao banco e ao Baresi.

Um minuto depois sai Marcelinho e entra Cleber Santana.

Analise desta situação:

Da parte do Capitão:

Está certissimo, apóio ele não apenas pelo fato de ser seu fã incondicional.

Rogério ama o clube é um mito e neste momento em que o clube mais precisa dele fez o que só ele sabe fazer lá de trás.

Com calma e de forma racional chamou a responsábilidade, se mostrou, deu a cara para bater.

O problema é que neste momento apenas chamar a responsabilidade dentro de campo não adianta mais o Rogério está vendo que estamos sem comando e fez a coisa mais sensata que poderia imaginar.

Assumiu o controle.

Perfeito da parte dele.

Da parte do Baresi:

Sinceramente ele não tem culpa, não tem experiência e pelo que vem notando não tem visão de jogo.

Ele é uma marionete que foi colocada lá não tem como culpar o homem, tem que culpar que o colocou lá.

Finalmente da diretoria:

Esta sim merece todas as críticas.

Omissa.

Vendo o SPFC afundar em todos os cenários se mantém omissa e literalmente torce pela sorte para que tudo de certo mantendo a omissão.

Esta situação mostra que eles esqueceram completamente o tamanho do São Paulo.

Um time como o São Paulo não pode ter uma experiência de péssimo gosto no comando. É inconcebível que um jogador assuma a responsabilidade de técnico.

O São Paulo é um gigante e não permite experiências.

No meu post anterior eu disse que em um jogo a covardia merece ser punida.

Mais uma vez eu repito.

A covardia merece ser punida, e a covardia de um ano inteiro merece ter uma punissão do tamanho do erro.

Como torcedor realmente não consigo torcer contra o time, mas também não consigo deixar de pensar que seria ótimo para o São Paulo que algo acontecesse.

Digo isto pois, para os que não sabem o símbolo da boa administração, o senhor Juvenal Juvêncio está a um passo de alterar o estatudo do clube mais uma vez para se manter no poder.

Na verdade dizem que ele já mudou e que sua reeleição é certa a menos que algo muito grande acontessa.

Lembram de alguém?

Talvez os Corinthianos, Vascaínos e Palmeirenses lembrem.

PS.: Cena engraçada foi o Dago fazendo o gol e correndo para a torcida. Meia duzia de caboclos lá gritando.