CBF vs Seleção Brasileira

Eu acho impressionante o quanto a CBF trabalha para sabotar a seleção brasileira e o próprio Mano Menezes. Neste domingo a rodada do brasileirão aconteceu sobre a sombra do amistoso entre Brasil e Gana que acontecerá esta segunda-feira se eu estou bem informado. Não discutirei a relevância do jogo, minha humilde opinião é que a seleção de fato precisa de confiança e entrosamento, duas coisas que você não consegue levando um time em formação para ser espancado por uma Alemanha que joga junto há no mínimo dois anos, mas o que mais me espanta é o precedente que a CBF abriu neste domingo para o torcedor jogar contra a camisa canarinho.

Não é de hoje que ouvimos aquele mimizinho de torcedor babaca dizendo: “blá blá blá, eu torco muito mais pelo meu time do coração do que pela seleção brasileira, blá blá blá, quero que o Brasil perca tudo pois é a seleção do Ricardo Teixeira e não a seleção do Brasil, blá blá blá, entre uma Libertadores do meu time e Copa do Mundo da seleção brasileira eu quero a Libertadores, blá blá blá, sou bixinha, blá blá blá, sou completamente alienado”

Tenho certeza que o leitor já ouviu alguma destas expressões e talvez as tenha até dito. Para mim estes são argumentos ridículos que você pode ouvir de qualquer torcedor modinha quando seu time do coração perde. Sabe aquele torcedor que quando o time toma uma goleada do rival diz: “Sou são-paulinho/palmeirense/corinthiano/…, mas nem ligo muito para futebol”.

É a raça mais deprimente do futebol, não faz a mínima idéia da escalação do seu time, mas passa uma semana e ele vai zoar o amiguinho rival quando o time dele vence o clássico.

Eu sou são-paulinho fanático e igualmente doido pela seleção brasileira.

Não é a seleção do Ricardo Teixeira, assim como o São Paulo não é o time do Juvenal Juvêncio. Os dois, neste caso, são infinitamente maiores que os dois ditadores citados, a camisa amarela e a tricolor são eternas, os dois citados morrerão e as duas estarão lá, imponentes e gloriosas.

Tanto a Seleção quando o tricolor são grandes demais para ter dono. O mundo olha a camisa canarinho e a respeita, o brasileiro a olha e desdenha sem entender metade da história que ela representa. Se tem Ricardo Teixeira ou não é irrelevante, ou alguém aí vai ser capaz de não comemorar um possível título mundial em 2014?

Se a Seleção é tão irrelevante porque tanta dor e ódio quando fomos eliminados em 2010?

Hoje em dia o brasileiro torce contra a Seleção do Ricardo Teixeira, não por opinião, mas por puro modismo. O corintiano por acaso torcia contra o Corinthians na época do Dualib e o palmeirense com o Mustafá, torcia para o Verdão perder?

A rodada deste domingo dá argumentos contra a seleção brasileira para metade das torcidas. O Vasco não tinha Dedé, Flamengo não tinha Ronaldinho Gaúcho, São Paulo não tinha Lucas, Corinthians sem o Ralf, estes são só os clubes que me vieram a cabeça. Todos estes aceitaram e jogaram como é feito há décadas, mas só um foi a CBF tentar ganhar a rodada no chororô.

E o mais foda é que ele conseguiu.

Quando a CBF adia o jogo do Santos contra o Botafogo sem nenhum motivo real ela consegue beneficiar um, prejudicar outros dezenove e o pior de tudo gerar um desgosto danado com a seleção brasileira e o Mano Menezes.

O Mano, foi corretíssimo, se está jogando bem tem que chamar, a seleção é isto, só os melhores, não importa se é contra a Alemanha ou contra o Azerbaijão, mas o negócio é que tirando o São Paulo todos os clubes tiveram resultados ruins e o Santos está todo felizão aguardando seus garotos voltarem.

Aí o santista diz: “- Ah, mas o Santos estava sem três títulares e dois craques”. Eu até entendo, mas o São Paulo jogou sem doze titulares e nem por isto teve seu jogo adiado. Eu acho que o Palmeiras não tinha seis titulares na rodada passada, jogou e perdeu, mas jogou.

Há tempos eu me pergunto o que o Santos tem de especial. Este ano o Santos teve um monte de jogos do brasileiro  adiados em razão da Libertadores da América. Concordo com esta decisão, mas me pergunto porque este tratamento nunca foi dado ao São Paulo e ao Internacional que há uns cinco anos começam o Brasileirão só no segundo turno depois de apanhar de todo mundo no primeiro.

Como torcedor clubista me sinto prejudicado e inconformado, mas fico muito mais doido pela seleção brasileira que carece da atenção dos que se deixam levar por modismo e saem proferindo aos quatro cantos que não dão a mínima para a amarelinha.

A seleção é eterna. Para o mundo inteiro aqueles onze homens não representam Ricardo Teixeira, eles representam a mim, você e a décadas de história.

São Paulo e Palmeiras no Brasileirão 2011

Eu realmente gostaria de ter o que comentar sobre este Choque-Rei, tem jornalista que exalta a raça, aplicação defensiva e tudo mais, mas sinceramente não exalto porra nenhuma.

Se não fosse o golaço do Dagoberto que fez valer o ingresso das duas torcidas, até dos palmeirenses mais chatos que jamais reconhecerão o golaço, os dois times deveriam se juntar e restituir com juros a meia duzia de gatos pingados que apareceram.

O São Paulo segue alternando alguns poucos momentos de técnica e individualismo com completa inoperância do time inteiro, o Palmeiras sempre naquele chove e não molha há uns três anos. Bicuda do Marcos Assunção pra área e de cada duzentas bolas uma entra.

Duas escalações ridiculamente defensivas cagando de medo de ganhar alguma coisa. Felipão teve a capacidade de fazer marcação indivídual nos grandes Carlinhos Paraíba e Welington e o Adilson com três atacantes contra um time que não chega na area pelo chão.

Quando digo que não dá pra comentar não dá mesmo!

PS.: Pra quem quiser conferir aí este post saí aos trinta do segundo tempo se alguma coisa mudar me avisa aí!

Pobre Mano Menezes

Pobre Mano Menezes. Só mais uma vítima do amor, alienação e burrice de uma nação inteira.

Lembro-me muito bem de quando a seleção brasileira perdeu de forma vergonhosa a Copa do Mundo de 2006. Revoltados todos urravamos por seriedade, organização e amor a camisa.

Então Ricardo Teixeira tira da cartola o gigante Dunga. Um dos sujeitos mais injustiçados da história da seleção canarinho, e não por coincidência, um dos meus maiores ídolos. Talvez por não se deixar dobrar aos caprichos da emissora plim-plim ou não fazer média com reporter Dunga simplesmente perdeu a chance sagrar-se um dos maiores ídolos do esporte bretão deste país.

Estranhamente o período negro da seleção brasileira ficou lembrado como “Era Dunga”.

O título de noventa e quatro? Era Parreira, Romário, ou qualquer coisa que o valha. O Dunga. Estava lá, era o mesmo capitão, o mesmo Dunga, mas ninguém fez questão de lembrar.

Então o Capitão volta pra seleção. Se queriamos seriedade e organização, ninguém melhor do que ele. Ele nos dá seriedade, nos dá organização, de forma inacreditável ele ganha TUDO, TODOS os jogos e títulos que eram possíveis ele ganhou. Só que não por coincidência ninguém lembrava que aquela seleção vitoriosa, era a seleção do Dunga.

Na Copa América era a seleção do Robinho, nas Confederações era a seleção do Kaká. Na Copa do Mundo era a seleção do Luiz Fabiano, só que aos 96 minutos do jogo contra a holanda aí sim. Aí sim virou seleção do Dunga.

O Felipe Mello?

Só um idiota que o Dunga levou. Lembrando que o primeiro gol do Robinho, com um brilhante passe do Felipe Mello, foi genialidade do Robinho e o Felipe um grande jogador.

Neymar este sim, aos 96 do jogo contra a Holanda de repente se tornou essencial. O mesmo Neymar que não conseguiu desequilibrar em um amistoso contra a Holanda acabou virando solução para uma Copa do Mundo.

Pobre Mano Menezes, estão fazendo com você exatamente o que fizeram com Dunga. Lhe pediram renovação Mano, a nova seleção não podia lembrar em nada aquela triste seleção que por sorte ganhou tudo que disputou e fez uma grande Copa do Mundo. Lhe pediram renovação e você deu renovação, ótimo trabalho, diga-se de passagem.

Só que o povo é muito burro pra entender.

Entender que jogar tudo fora e começar de novo não é fácil, ainda mais quando o que você jogou fora foi um excelênte trabalho. É difícil entender que não dá pra reunir um time na quarta pra jogar no sábado.

A seleção do Mano não ganhou de ninguém, nenhum adversário grande.

Mas quando a seleção ganhar a Copa América, aí a seleção do Neymar e do Lucas ganhará as manchetes de jornal.

Hoje mais do que nunca, ser treinador da seleção é uma mostra de coragem, amor a pátria, e muita, mas muita burrice mesmo.

Mano Menezes tem meu respeito e admiração.

Brasil e Paraguai no Sub-20

O Brasil estreou ontem no Sub-20, assisti o jogo e posso falar que, ao contrário do resultado e de todo este AUÊ da imprensa em relação ao Neymar o time como equipe não jogou bem com algumas exceções.

A zaga o Brasil até foi bem sólida uma vez que não foi tão acionada, a maioria dos chutes vinham de fora da área ou bolas chuveiradas. Já o meio campo dá pra fazermos uns destaques:

Casemiro jogou demais, está mostrando sua evolução este ano. É brigador, marca forte e chega lá pra frente como elemento surpresa por diversas vezes, lembra um pouco o Elias ex-Corinthians. Se continuar assim o moleque tem que ser tilular no São Paulo Futebol Clube, só não seria caso o Jean saísse da direita e fosse novamente para o meio.

Oscar não foi jogar o que para o São Paulino que vos escreve é até um pouco prazeroso. Eu sei é errado, mas fazer o que. Lucas entretanto, marcava forte a saída de bola e realmente assumiu a postura de um dos líderes do grupo. Cria, chuta, e se apresenta muito bem e está incrívelmente entrosado com Neymar, parece que se conhecem há anos. Se o Neymar quiser vir para o São Paulo manter a dupla será bem vindo.

De resto não dá pra circular nenhum outro destaque.

Claro, o Neymar não é mais destaque de partida é uma constante. Ontem, contra um dos times mais fortes do torneio, quem resolveu foi ele. Arrisco a dizer que sem ele em campo o Brasil não teria tido a mesma sorte, de tão mal que jogou. Como sempre digo, craque é isto, craque é o cara que você toca para ele com a confiança de que ele vai resolver um jogo difícil.

Ontem Neymar ganhou diversos pontos comigo, que já era seu fã.

Digo até que esta Sub-20 não será tão proveitoso para os outros como está sendo para o Neymar. Jogar com a seleção está criando uma característica vital para um craque que o Neymar ainda não possuía. De moquele brincalhão dentro de campo ele está virando um líder. Pra quem viu o jogo fica mais que claro a referência que este moleque se tornou no ataque da seleção, quando a bola chega lá na frente todos levantam a cabeça e procuram ele. Ontem ele cobrou falta, driblou, caiu, chutou de fora da área, enfim, fez tudo.

Um alien eu diria.

Infelizmente não vi Pelé nem Zico, mas pelo futebol atual que já vi posso dizer que nunca vi um moleque com a idade dele jogar o que está jogando no mundo do futebol, é o nascimento de um craque. Com a idade de Neymar Messi não jogava nem um terço do que este moleque joga, e acho que nem hoje em dia ele joga.

O legal deste campeonato é que a geração Wining Eleven que acha que Ronaldinho Gaucho e Kaká são craques está podendo ver o nascimento de um craque de verdade. Enquanto Ronaldinho Gaucho e Kaká se esconderiam atrás dos marcadores ontem (como já o fizeram nas olimpíadas) Neymar chama a responsabilidade, vai pra cima e mete quatro sem medo de ser feliz.

Como sempre digo, a proporção de um craque no futebol está trinta porcento nos pés e no talento e setenta porcento na cabeça. Ou o sujeito treme nas bases na hora do vamos ver ou ele se consagra.

Os três que citei têm talento, os três jogam demais, mas o problema está na cabeça dos dois medalhões.

Para os recalcadinhos que não suportam o Neymar, se ele é arrogante, prepotente, escroto ou sei lá não me importa. Não vou casar com ele. O que importa é que o moleque joga demais.