Fazendo História

Mais uma vez o Uruguai faz história! Não sou lá dos mais velhos, mas já assisti a uma porrada de jogos de futebol e por mais estranho que pareça os jogos mais impressionantes que ví foram protagonizados por esta geração uruguaia de Forlán, Suarez e Lugano. Geração escolhida para retomar a posição que a celeste jamais deveria ter perdido, se é que perdeu: de verdadeira segunda força da América do Sul.

Quem não se lembra de Uruguai e Gana na Copa do Mundo de 2010? Jogo que tomei para mim como a maior partida de futebol que já assisti. Uruguai e Argentina de ontem foi quase uma réplica daquele embate, com a diferença de que Gana era muito mais time que a Argentina :).

No maior estilo uruguaio de  força, garra e superação a celeste fez uma partida de 120 minutos praticamente com um jogador a menos e sem o pseudo-deus-craque-modinha da geração Wining Eleven, o que para muitos jornalistas chupa sacos era a garantia de título argentino.

Bom para estes eu realmente espero que tenham visto o jogo de ontem e entendido o que um verdadeiro craque fez. Um craque de verdade não fica ciscando pra cima e para baixo com a cabeça voltada para o chão jogando praticamente sozinho. Ontem em campo tivemos um craque de verdade e um modinha em campo, com um mínimo de QI qualquer um poderia ter visto a diferença entre os dois.

Não vou negar e nem insistir no erro de muitos magoadinhos tentando desmerecer o bom jogador Messi, mas a verdade é que o garoto está longe demais de qualquer um que já mereceu o posto de melhor do mundo. O garoto Messi é invocado, rápido e difícil de marcar, porém, joga sozinho! A imprensa adora exaltar seus passes mirabolantes que deixam os companheiros na cara do gol. Acredite, em um jogo onde ele deu um passe que efetivamente virou gol, ele poderia ter dado uns trinta. As três ou quatro chances de gol que a Argentina de fato teve no jogo contra o uruguai de ontem poderiam ter se tornado oito a dez se o queridinho da imprensa fosse um pouquinho menos individualista e desesperado. O moleque me lembra bem um tal de Marlos e nem por isto Marlos virou o melhor do campeonato paulista.

Como eu disse não vou cair no erro de ridicularizar o Messi, o cara é bom, porém os jornalistas brazucas que não suportam a realidade de que o melhor futebol do planeta está aqui, cutúcam minha úlcera forte demais.

Eu já lí um monte de desculpas para tentar exaltar pseudo-craque, a mais ridícula de todas é a de que o argentino não tem os companheiros de Barcelona na seleção e por isto não rende metade do que mostra em solos espanhóis. Sinceramente, nem termino de ler quando começam com este papo.

Com Xabi e Iniesta do lado até eu com cento e vinte quilos jogo bola porra!

Forlán ontem mostrou que um craque joga futebol em qualquer lugar. Torcer para o Uruguai ontem foi um teste de paciência principalmente. Este time Celeste é muito ruim técnicamente, tirando Forlán e o Lugano, que as vezes dá umas batidas de cabeça, não existe nenhum jogador com nível para jogar mesmo a série B brasileira.

Compensam toda a falta de técnicao com alma.

É fato, o time é terrível, nem o tal do Suarés salva, mas mesmo assim, Forlán cadenciou o jogo e foi capaz de colocar seus fracos companheiros na cara do gol algumas vezes. Forlán também não teve seus companheiros de Altético de Madrid ontem, mas mesmo assim jogou muito mais futebol do que joga lá para compensar.

A celeste mostrou que nossos vizinhos não tem vinte porcento do futebol que nossos jornalistas querem acreditar que ela tem, e mostra que futebol não se ganha apenas na pompa e na prepotência. Futebol se ganha em campo e no coração.

A celeste ganha ainda mais minha admiração e me dá a certeza de que os cento e vinte reais gastos na camisa da seleção uruguaia foram muito bem empregados.

Gosto de futebol técnico e bem jogado, mas não dá pra ignorar quando um time joga consciênte do peso da camisa que carrega e a cada dividida coloca o coração de milhões na ponta da chuteira.

Futebol é isto, e muito mais!

PS.: Um chupa bem grande para os jornalistas brasileiros chupa sacos de argentina e Messi, não dou a mínima pra argentina, não vejo graça em zoar time pequeno, mas um CHUPA enorme para os lambe bolas do fraquíssimo Messi que só joga bola no Barcelona. River Plate o aguarda Messi.

Anúncios

One Response to Fazendo História

  1. Carlos says:

    Esse seu post e lindo.
    no post que vc comenta a queda do carpegiane, eu citei uruguai como campeão da copa america, mesmo nao ganhando o titulo, pra mim uruguai já e campeão, um selecionado que entendeu que defender seu pais, sua camisa, e mais importante que as manchetes de quem fez um golaço ou um lance de genio. o lance de genio dessa equipe, como vc mesmo ja citou leonardo, foi por o coração de seu povo na ponta da chutera, não fugir de nenhuma dividida. isso sem maldade, sem covardia, so raça mesmo. Parabens uruguai pela sua RAÇA!

    parabens tbm a venezuela!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: