Viva Uruguay

Não escondo a ninguém que sou um fã incondicional do futebol uruguaio. Talvez pela estreita relação histórica que o meu time sempre teve com este país, talvez pela raça que os caras mostram dentro de campo, ou simplesmente por eles serem os melhores da américa do Sul mesmo. Depois de nós é claro.

Tenho certeza que a metade aí já deve ter pensado: “Peraí! E a Argentina?”. Já falei deste país aqui, mais especificamente ano passado quando o guerreiro Goiás brigou pela Sulamericana.

O futebol do Peñarol é exatamente o mesmo futebol praticado pelo Uruguai na Copa do Mundo, é um pouco contraditório para mim, mas sou fã dele pra caramba.

Quem me conhece sabe que gosto de um futebol técnico, rapido, ofensivo. Aqueles que vale a pena pagar o ingresso ou o Pay Per View para assisti-lo. Só que tem um porém, para praticar este tipo de futebol você tem que ter talento em campo, precisa-se de inteligência. Não é só juntar meia duzia de gato pingado e achar que vão formar um DreamTeam.

Para não rolar bicão, e futebol retranca ao maior estilo Muricy e Felipão você precisa ter no mínimo uns dois caras acima da média ou MUITA inteligência no banco de reservas, fora isto, o time vai jogar bonito e nunca ganhar nada. O dilema de muitos que futebol bonito não ganha jogo.

Agora, o que me faz ignorar alguns dos meus principios futebolísticos e adorar o futebol Uruguaio é esta consciência e inteligência do jogo de futebol. Eles sabem que não tem time, nem talento para jogar na técnica e dar show, então compensam na raça na briga. Exatamente o futebol que vimos na Copa do Mundo, com um gênio em campo é claro.

Por favor, não confundam a raça uruguaia, com a palhaçada argentina. O Uruguai ganha jogo porque briga, joga forte, compença na raça, nas nunca ví este forçando o não-futebol. Nunca ví este país enrolando em jogo, catimbando, enfim, só ganhando jogo de futebol graças ao psicológico fraco do outro time.

Procura na memória parceiro, não existe relato de encontro Brasil e Argentina onde eles tenham ganhado de nós na bola. Aconteceu com o Goiás, Cruzeiro e algumas vezes até com a seleção. Nós não sabemos jogar contra este tipo de jogo covarde, e eu prefiro que fique assim. Time grande não precisa ficar enrolando e perdendo vinte minutos de jogo pra cobrar um lateral depois que encontra um gol na casa do adversário.

Nós somos a seleção brasileira. Colocamos a bola no chão e goleamos.

Ontem o Peñarol jogou na briga, na raça, usando a força de sua torcida e a força da sua pesada camisa OITO vezes campeã da Libertadores, e uma delas invicto, mas sempre optou pelo futebol.

Parabéns ao Peñarol e ao Uruguai é muito bom ver o futebol deste país de novo no cenário mundial e finalmente reinvidicarem o prestigiado posto de segundo melhor da América do Sul.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: