Quando o caráter faz toda a diferença

Mais uma vez quis o destino que o São Paulo tivesse outra promessa de camisa dez em suas mãos, justo o São Paulo, time de torcida que tanto clama por um camisa dez há anos e anos. Com o mesmo amadorismo de sempre a diretoria  conduziu as negociações da joia. Para recapitular alguns capítulos importantes, caro são paulino, é necessário que você leia este post.

Mas vamos lá.

Lucas é mais um craque que foi criado na base do São Paulo Futebol Clube,  é visível o bom trabalho que o time fez com ele, uma prova disto é o físico do Lucas comparado ao seu companheiro de seleção Neymar. Visivelmente mais forte e explosivo, o garoto Lucas, recém chegado da seleção sub-20, já jogou pelo seu clube e simplesmente acabou com o jogo enquanto o seu parceiro santista mostrava os sinais do cansaço aos olhos de qualquer um.

Cansaço natural diga-se de passagem. O ponto fora da curva é o são paulino.

Então o São Paulo descobre, cria, ensina, inventa e expõe mais um de seus jogadores ao mundo pela seleção brasileira. Uma vez que o garoto entra nesta vitrine, amigos, é quase impossível segurar, porém um processo natural para um jovem talento, processo natural que não aconteceu com Kaká, diga-se de passagem. Kaká não passou por metade das seleções de base que o Lucas passou, também não brilhou decidindo um campeonato tão brigado como o Sulamericano.

Como eu disse, mais uma vez a diretoria do São Paulo tem a joia na mão e mais uma vez a incompetência impera. Lucas tinha a faca e o queijo na mão para quebrar o contrato com o São Paulo e seguir a vida na Europa exatamente como fez seu precedente Kaká. É impressionante como as situações se parecem.

Kaká quando chegou a um momento parecido com o que o Lucas vive hoje, porém pior, chegou a sala da diretoria no momento da renovação do seu contrato e disse que não renovaria com o time e que se o time quisesse lucrar o mínimo com ele, que o vendesse na mesma hora. O São Paulo refém de sua própria incompetência o vendeu por uma quantia que não representa nem o cinco porcento da última transferência deste rapaz.

A situação de Lucas é exatamente a mesma, só que melhor para o jogador. Lucas poderia recorrer a erros no seu contrato e rescindir como Oscar o fez, Lucas poderia seguir os passos de Kaká e forçar sua saída, com a diferença que seria ainda mais fácil, uma vez que o contrato dele já venceu, enfim, Lucas teria no mínimo umas três formas de dar um pé na bunda que o clube jamais esqueceria e pegar um avião direto para o velho continente.

Aí é que vem uma das maiores virtudes que um homem pode ter, gratidão.

Lucas têm em mente que quem o encontrou, inventou, criou, expôs foi o São Paulo Futebol Clube. Óbvio, o talento do jogador faz a diferença, mas o clube tem um papel crucial na formação do craque. Veja, não estou dizendo que o jogador tem o dever de jogar de graça e cheio de amor pelo clube que o inventou, só estou exigindo de Kaká e Oscar a mesma gratidão e caráter que Lucas teve neste momento.

Lucas deve e tem a obrigação de pedir um baita aumento de salário, condições de craque e tudo mais, só não tem o direito de dar um pé em quem o inventou em troca de um lugar como reserva em algum clube de médio porte na Europa.

Isto para mim é canalhice, e é aí que o caráter do garoto fez toda a diferença.

Lucas renova com o clube com uma multa rescisória que pagaria as dividas do time por mais uns dez anos e quando chegar o fatídico dia de sua saída ele terá a certeza que saiu pela porta da frente e de cabeça erguida, retribuindo ao clube tudo e muito mais que o investido.

O mesmo vale para o Casemiro que recusou a mesma proposta que o Oscar aceitou para rescindir o contrato com o clube se aproveitando de uma brecha contratual.

Caráter faz um homem, e isto com certeza estes garotos provaram para mim e para todos que têm. São merecedores do manto tricolor, e merecedores e tudo de bom que virá em suas vidas com certeza.

São craques de verdade, completos, na bola e na cabeça.

Lucas e Casemiro, vocês são Foda molecada, provaram que de moleque não tem nada. Quem dera um certo pseudo-craque aprendesse a metade do que vocês sabem com vinte anos de idade.

Anúncios

10 Responses to Quando o caráter faz toda a diferença

  1. Henrique Matheus says:

    Muito bom o post, Leonardo. Parabéns!
    Só mais uma observação para complementar o que já foi dito. Kaká já disse abertamente que quer encerrar a careira no São Paulo, talvez como uma forma de “gratidão”. Mas, venhamos e convenhamos, a contribuição de um jogador em final de carreira é muito menor do que a de um jovem no auge da forma física. Também por isso a atitude do Lucas é louvável e digna de elogios. E, no futuro, quem sabe, ele possa encerrar a carreira no São Paulo, como forma de gratidão verdadeira, não para “pagar uma dívida” como o outro lá que saiu pelas portas do fundo depois de amarelar na final de uma Paulistão (2003?).
    E Casemiro titular já!
    Abraços!

  2. Leonardo says:

    Exato,

    E Casemiro titular já! (2)

  3. Leonardo says:

    E dizendo mais, não quero o Kaká com a camisa tricolor nem em um desenho.

    Vai pagar a dívida no Corinthians que é o lugar dele

  4. Irineu says:

    Leonardo, no caso do Oscar concordo plenamente, já no caso do Kaká você está equivocado. Devido a lei do passe ou o SP vendia o Kaká naquele momento e ganharia alguma coisa, ou seis meses depois e não ganharia nada. Então diante de algo irreversível o SP preferiu naquele momento ter uma ganho, que diga-se de passagem não foi lá aquelas coisas. E a saída foi motivada também pela própria torcida que responsabilizou o Kaká, o Luis Fabiano e o Rogério Ceni, pela eliminação da Libertadores de 2004. A conduta do Kaká com o SP sempre foi exemplar. E tenho certeza que ele ainda voltará. Já o Oscar……

    Sds. SãoPaulinas

    • Leonardo says:

      Mas não era impossível o Kaká renovar por mais algum tempo com um contrato melhorado para as duas partes né?

      Exatamente como fez o Lucas agora.

      O Lucas poderia colocar o contrato no braço e não renovar com ninguém, mas prefereiu o correto.

      Cotinuo achando o Kaká um babaca, se a torcida responsablizou o Kaká e o chamou de pipoqueiro, isto pra mim é pretesto. Não foi a torcida que deu tudo que ele tinha, que o curou de uma doença que o deixaria em cadeira de rodas nem nada disso.

      Foi o Clube, e este merecia mais respeito

  5. videoventura says:

    Lucas é o tipo de jogador que eu gosto: dribla, cruza, chuta, cabeceia, arma, marca, perfeito taticamente, é humilde, honesto e tem um sorriso que contagia. Futuro melhor jogador do mundo em, no máximo, 3 anos. Anotem!

  6. Pingback: Sobre meninos e homens « Na Zona do Agrião

  7. Roger says:

    Só uma observação o Lucas, estava no Corinthians onde era chamado de arcelinho, que tambem é seu nome.

    abraços.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: