São Paulo e Ponte Preta

Neste sábado o Tricolor Paulista foi brigar pela terceira vitória consecutiva no campeonato Paulista, antes da caça as bruxas que acontece depois de cada jogo vamos só dar os parabéns para a Ponte Preta, que entrou marcando muito bem, compacta e contra-atacando em velocidade de forma perfeita  dominando o terrível São Paulo.

Vamos ao jogo.

Logo no início a estratégia de jogo dos dois clubes estava bem traçada. O São Paulo atacando a Ponte desde o primeiro minuto de jogo, e nos contra-ataques a Ponte Preta arriscava seus pontinhos. Em minha opinião estratégia perfeita para os dois lados. O gigante ataca como gigante, e o pequeno se defende e contra-ataca torcendo pela incompetência do superior. Do jeito que tem que ser, sempre.

Como eu disse, estratégia perfeita do São Paulo, se não fosse a zoeira que eles fizeram do jogo.

Só de olhar o Mito no gol dava para notar que algo estava errado. O que era aquilo, por que tão adiantado, confesso que nunca vi o Rogério Ceni tão displicente em uma partida de futebol. Talvez pelo seu aniversário ele estava doido para jogar na linha, não sei. Entendo que ele fez grandes defesas e tudo mais, porém quase entregou a rapadura umas três vezes e de fato entregou uma vez pelas suas brincadeiras de querer jogar goleiro linha. Porém confesso que este foi o nosso menor problema este sábado.

Só para não perder o costume vamos falar do Cléber Sono. Eu até entendo o que o Carpegiani está tentando fazer com ele: Sabe quando agente pega aquele jogador que tem nome e está em uma má fase? Coloca ele em jogos fáceis para ver se ele engrena, pega confiança e depois vira o homem que resolve a parada? Então. É basicamente isto, que o Carpa está tentando fazer, o problema é que o Cleber Sono não é jogador de futebol e quanto mais cedo encararmos isto melhor será.

Quando vi Cleber Sono de titular nas três partidas achei até legal, na esperança que funcionasse e ele engrenasse de vez, mas nos três jogos ele entrou dormindo, errando passe de dois metros… É tenso.

A derrota de hoje com certeza dá para colocar completamente a conta do Carpa. A desorganização dominou por completo o jogo tricolor, o São Paulo com Cleber Sono e Rodrigo Sono não tinha meio campo, isto é fato. A bola era rifada para o ataque e lá Dagoberto, Fernandinho e Marlos abaixavam a cabeça e tentavam resolver sozinhos, isto pela característica dos três mas também pelo fato de eles estarem muito distantes um do outro. Não dá para culpar tanto assim. A ligação de meio e ataque só acontecia quando um dos três vinham buscar a bola, mas aí acontecia o problema do isolamento que já falei.

É até legal jogar com os três juntos, mas não dá para jogar com eles sozinhos em campo. Vinham buscar sozinhos assim eram presas fáceis para os brucutus da Ponte Preta uma vez que nosso meio de campo não sobe por nada e em geral o ataque não desce.

Imagine recuar o Fernandinho e o Marlos um pouco. Colocar os dois como alas, esquerdo e direito, assim fica caracterizado a ajuda deles ao meio campo e suporte ao ataque. Outro que estava meio sem função no campo era Carlinhos Paraíba, não sabia se atuava como volante de marcação ou como segundo volante. Minha opinião é colocá-lo volante, mas jogar só com ele.

O jogo de sábado foi tão incomum que até o outro mito Alex Silva estava falhando e confesso que não lembro da última partida que ele falhou comprometendo o jogo. Dizem que o Renato (Se não me engano, o 10 da Ponte Preta) destruiu o jogo. Fato, jogou muito bem, mas com o meio de campo perdido do SPFC, a zaga falhando um pouco acho que até eu jogo bem.

Como sempre digo, gosto do jeito do Carpa de ir para o tudo ou nada, é ganhar ou ganhar, mas temos que fazer isto com organização.

Vamos lá.

Fernandão (Henrique) – Dagoberto

Lucas (Ilsinho)

Fernandinho                      –                                 Marlos

Casemiro (C. Paraíba/Jean)

Juan – Miranda – Alex – Jean (Xandão)

Mito

Este é um 4 – 4 – 2 simples, sem invenção, em geral quando o técnico tenta inventar, como fez o Carpa no sábado, a maionese desanda. Assim Fernandinho e Marlos meio que resolvem o buraco entre meio de campo e ataque. Eles não precisam voltar destruindo o esquema, eles são os meias de ligação, simples assim. O importante é ter na cabeça que tem que marcar e forte por que assim o meio de campo fica um pouco pelado se não marcarem. Nisoo 0 volante com pegada é importante, e Casemiro é o cara para isto, outro muito bom é o Jean, mas o Paraíba faz a função também.

De resto tudo igual, só ainda não concluí quem é melhor de lateral, Jean ou Xandão, já que os dois são terríveis na lateral.

Mas desta forma o time fica com pegada no meio de campo pra frente. Lucas ou Ilsinho vão sempre ter apoio com a chegada de Marlos ou Fernandinho e o Dago fica com a responsabilidade de voltar um pouco e apoiar o Fernandão, caso um ataque mais leve seja necessário coloca o Henrique lá.

Sem inventar dá para fazer um time legal, gosto do Carpa, o problema é quando o Professor Pardal toma conta dele aí a coisa fica feia.

Um dos times mais  desorganizados que já vi jogou contra a Ponte Preta neste fim de semana e o resultado foi até bom para o São Paulo viu?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: