A renovação e a Seleção

Infelizmente quando o assunto é futebol o brasileiro não pensa muito. Em geral é só o resultado. Quando ganha é tudo de bom, o técnico é ótimo, o time é seleção e a diretoria é competente. Quando perde, o técnico é um lixo e o time não presta. O time não presta mas em cento e dez porcento das vezes sobra pro técnico.

Outra constante no Brasil é o fato de que quem mais deveria sacar de futebol não sabe nada. A imprensa esportiva brasileira é ruim, bairrista e tendensiosa. E na maior parte das vezes o povão vai na barca.

Mas por nada incrível que pareça em 2010 a imprensa ficou pra lá de contraditória.

Vamos lá.

Que nossa imprensa últimamente idolatra o futebol resultado é fato. Assim vemos elogios ao São Paulo tricampeão, a Itália campeã em 2006, a Internazionale campeã de 2010, e é claro ao maior futebol resultado da história. Brasil 94.

Futebol resultado é aquele futebol ruim de assistir, retrancado e que fatalmente acaba encontrando um gol. Então vence de um a zero, meio a zero e acaba campeão. Um campeão que não deixa lembranças, ou melhor quanto mais cedo esquecermos do futebol jogado melhor, por que então só ficam os números e dá pra caçoar do amiguinho baseado na matemática.

Futebol não é matemática.

Em 2006, com vexame Brasileiro na Alemanha o que a imprensa esportiva e todo o Brasil clamou para a seleção?

Comprometimento.

O que tiveram com a seleção do Dunga?

Comprometimento, e muito diga-se.

Assim como o comprometimento, queríamos resultado. Para a imprensa e grande parte dos torcedores, não adianta ter comprometimento e jogar bonito mas não ganhar nada.

O Brasil do Zico mostra isto.

Na minha opinião a maior seleção brasileira que já existiu, que mais fez história não ganhou nada. Coisa que acaba fazendo, na cabeça de cada um, que a seleção de 94 seja melhor que esta. O que é um sacrilégio.

Dunga não nos mostrou nada além do que tinhamos nos últimos anos. Um futebol feio sim, retrancado sim, longe do futebol arte. Mas completamente igual ao time do Felipão e do Parreira na parte tática.

O Brasil não joga futebol faz anos. Não me venham dizendo que o time do Felipão jogava futebol arte, é mentira.

Foi um dos times mais feios e retranqueiros que vestiu a camisa amarela, porém tinhamos craques que não desapareciam na hora que o bixo pegava.

Dunga nos deu comprometimento, um futebol que estávamos acostumados e o melhor, vitórias.

O professor ganhou tudo que disputou. Foi a melhor campanha brasileira da história, ou seja, ponto positivo para professor Dunga em comparação aos seus precedentes Felipão e Parreira.

Uma coisa que quero deixar bem claro quando disse que o time do Dunga era exatamente igual ao do Felipão. Digo isto na parte tática, na parte que diz respeito ao técnico.

A qualidade do time do Felipão é incontestávelmente superior à do Dunga, mas aí nos pegamos em outra injustiça. Simplismente era impossível que o time do Dunga fizesse frente ao time do Felipão. A safra Dunga foi a pior safra brasileira da história, ao contrário do Felipão que tinha uma das melhores safras comparadas aos seus adversários da época.

Felipão tinha jogadores que realmente chamavam a responsabilidade e resolviam, como: Ronaldo, Rivaldo, Roberto Carlos e alguns outros.

Os responsáveis por chamar a responsabilidade no time do Dunga eram Robinho e Kaká.

Dois ótimos jogadores mas por favor, não servem juntar as meias sujam dos jogadores que citei. Robinho e Kaká são dois jogadores talentosos mas que fogem da briga na primeira adversidade.

Robinho tem até mais crédido, liderou a seleção na conquista da copa américa, quando Kaká pediu o chinelinho. Robinho vem tentando mudar seu perfil de show-man para lider mas isto não é algo que se aprende apesar dele estar me surpreendendo.

Já o Kaká é ruim mesmo, não tem pulso nem pra liderar a cozinha da sua casa. E é surpreendente a falta de qualidade mundial para que um jogador desta limitação tenha sido o melhor do mundo alguma vez.

Ele não tem capacidade pra ser nem o melhor do campeonato paulista. Acho até estranho o excesso de mídia que ele tem. Nunca mostrou nada além do básico para ser colocado com craque. Chego até a pensar que metade da sua fama vem pelo fato de ser santinho e adorador de Jesus, coisa que ele não faz questão nenhuma de ser discreto.

Mas para um safra onde Cristiano Ronaldo é o melhor do mundo não dá pra pedir muita coisa.

Outro grande erro é colocar os garotos da vila como solução para resolver e chamar a responsabilidade.

Mais uma vez gostaria de cobrar coerência. Dois garotos que não haviam conseguido nada a nível nacional e que não tinham conseguido chamar a responsabilidade nem nos clássicos do Santos para resolver o qualquer problema que a seleção poderia ter.

Vale lembrar que o Santos perdeu para o Palmeiras quando o Palmeiras foi pra cima e mais precisava dos meninos.

O Santos tomou o empate e quase tomou a virada do São Paulo em 45 minutos quando o São Paulo se portou como gigante que é e foi pra cima do Santos.

Santos também perdeu para o Corinthians quando este foi pra cima como grande que é.

Veja, não estou dizendo que os meninos são ruins, quem acompanha meu blog sabe muito bem que sou fã destes. Estou dizendo que estes moleques são muito novos pra colocar a bola em baixo do braço e resolver um jogo de copa do mundo.

São safras diferentes e por azar ou devido ao sucesso do futebol resultado, a pior safra acabou nas mãos de Dunga, que na minha avaliação foi um sucesso danado à frente desta e que por pura má fé a imprensa o coloca como o anti-cristo do futebol.

Não consigo interpretar de outra forma, foi pura má fé assim como em 90 quando batizaram nosso fracasso como era Dunga e em 94 o sucesso foi para o Parreira.

Tentei por muitas vezes enxergar o que a imprensa enxergou, mas não consigo. A imprensa teve a capacidade de tornar o título de uma copa do mundo de futebol obrigação para a seleção.

Acho incrível que até hoje a nação tem capacidade de dizer que a seleção tinha a obrigação de vencer a copa. Vamos ser racionais, como impor a alguém a obrigação de vencer uma copa, um campeonato onde os maiores times do planeta disputam.

Acho errado dizer até que vencer o campeonato paulista é obrigação. Como vencer um campeonato onde São Paulo, Corinthians, Palmeiras e Santos se enfrentam. É impossível.

Não perdemos uma copa do mundo onde jogavam o Quinze de Piracicaba e o Bangu. Perdemos uma copa que tinha Alemanha e Espanha a mil por hora.

Agora vem Mano Menezes e os mesmos que cobraram comprometimento e tiveram, agora cobram futebol arte. Um pouco contraditório, mas não tente esperar coerência de uma imprensa parcial.

Uma responsabilidade imensa para o Mano, montar o time que deverá por “obrigação” vencer a copa do mundo de 2014.

Uma coisa não dá pra negar, o Mano tem personalidade e saco roxo pra aceitar isto, ao contrario de um outro técnico que fugiu da raia e ainda se fez de vítima.

Tenho certeza que quem perder esta copa terá sua carreira inteira manchada, isto se esta copa não encerrar a carreira de meio time como foi a de 2010.

Manchada não pelo desempenho obtivo, mas sim pela “ótima” cobertura que nossa venus platinada fará. E que o Mano Menezes ande bem na linha e abra as pernas para a Globo, por que caso o contrário: Se ganhar será a seleção do Ganso e do Neymar. Se perder será o lixo que o Mano Menezes juntou e treinou, roubando a vaga injustamente o Muricy Ramalho.

Anotem aí.

Mas à parte de tudo isto, gostei muito da escolha do Mano como técnico. De fato ele é o rei da renovação. Renovou o Grêmio o Corinthians e foi sucesso nos dois. A única coisa que não concordo é a forma que a renovação foi imposta à ele. De um dia pro outro a seleção não prestava e ele teve que trocar o time inteiro.

Meu deus a zaga brasileira é ótima, Maicon também é muito bom na lateral. Nilmar é ótimo, muito mais jogador que este tal de Alexandre Pato que a cada dez gols feitos que tem em mãos perde oito. Como um time que ganha tudo consegue ser inteiro ruim?

É muita contradição.

Este espisódio foi a maior inversão de valores que já ví na vida. E para os que acham que é exagero ou teoria da conspiração a influência da imprensa pra cima do povão neste episódio pode ver o poder destes. Se tem capacidade de fazer isto com o futebol imagina o que fazem com política.

Só para constar, acima disse povão, mas de modo algum dizendo que quem foi influênciado é ignorante ou sem estudo. Muito pelo contrário, ví gente formada, pós graduada e tudo mais repetindo os mantras vindos de globo esporte e fantástico.

Concluíndo, sou totalmente a favor da renovação, acho que Neymar e Ganso são de seleção sim, mas a forma que ela aconteceu é que não me conformo. Ricardo Teixeira fez de tudo pra jogar a derrota da copa nas costas do Dunga, foi um crime, deveria ser apedrejado por tamanha covardia.

Resta agora ao Mano, assumir o navio e ter em mente que terá sua carreira destruída em caso de derrota, mesmo que ganhe todos os jogos de goleada.

Uma salva de palmas para nossa imprensa esportiva e mais uma salva de palmas para os macacos que acompanham e saem por aí disseminando esta opinião distorcida, nós.

Anúncios

One Response to A renovação e a Seleção

  1. Pingback: Arrotando Perú « Na Zona do Agrião

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: